sábado, 27 de Setembro de 2014

Feira de Oeiras no Domingo - Venda de Doces e Licores




Olá a todos! Conforme referi por alto ontem, amanhã estaremos novamente na Feira de Rua de Oeiras, com os nossos doces e licores (e também desta vez azeites aromatizados!) das 11h às 17h.

Os preços mantêm-se, claro :) 

A Feira realiza-se na Alameda Conde de Oeiras, ao pé das antigas instalações dos CTT. 

Espero contar com a vossa presença! Há sempre muita animação, coisas baratas (livros, roupa, etc.) e atividades para crianças. E sempre era uma oportunidade de vos conhecer, desta vez sem um computador pelo meio ;)

Mais informações no evento do facebook





Algumas fotos das Feiras anteriores:







A minha vida ultimamente e o Desafio do 10 Years Bituine

Não é segredo para ninguém que adoro o meu curso (de paixão, mesmo!) e desde o primeiro ano que ansiava por este momento.

O momento em que ia começar a "trabalhar" a sério, a contactar com a vida real, a tentar ser psicóloga. Ansiava pelo estágio perfeito e pela tese perfeita (cujo tema foi amadurecendo na minha mente nos últimos anos), mas já sabia que ia ser quase impossível difícil. O meu local de estágio preferido era longe da minha casa e afinal a minha tese teria de se inserir num tema de um doutoramento. Confesso que desanimei um bocadinho, mas a verdade é que gosto de praticamente tudo em psicologia, e uma das minhas melhores características é ter uma mente suficientemente aberta para não ter medo de abraçar novos projetos e ideias (mesmo que não se enquadrem nada muito naquilo que eu mais queria).

Mas outra característica minha também é a persistência (não confundir com teimosia, se faz favor!), qual chiwawa a perseguir a ponta das calças do dono. E tentei, e fiz, e aconteci, e pedi, e implorei, e argumentei, e pesquisei, e fundamentei, e chateei até à ponta dos cabelos professores, amigos, família e conhecidos... fiz tudo o que podia, e acabei assim! No estágio que eu mais queria, apesar de longe de casa, e na tese que eu queria, um projeto meu, apesar de me ir dar o dobro do trabalho (literalmente, mas outra característica minha é o entusiasmo psicótico :P ). 

Sim, muitas vezes esta foi a minha cara quando implorava pela minha tese.

O que senti no meu coração, quando soube que ia ficar com a tese e o estágio que queria.

Resumindo: não é exagero se vos disser que neste momento me sinto a pessoa com mais sorte no mundo :) Este estágio, e principalmente esta tese, foram os meus pequeninos milagres. 

Com tudo isto, entre estágio, mudança de casa, falta de água e luz (e gás!) durante dias, projeto de tese que precisa de ser acabado para enviar para a comissão de ética (medo, medo, medo), infestação de formigas e exame de francês (sim, ainda me meti numa cena destas, foi hoje e correu bem), o tempo para me dedicar ao blogue tem sido pouco. Por isso ainda não tinha arranjado um tempinho para responder ao desafio do blogue 10 Years Bituine, mas decidi que não ia passar de hoje! 

A ideia é responder às 5 perguntas do blogue que nos nomeou e nomear mais cinco pessoas. Obrigada Jelly e Cocoon por se terem lembrado de mim :)

1. O que te levou a criar o blogue?
Ia com regularidade a blogues de culinária para pesquisar novas receitas e ganhei a mania de tirar fotos a tudo o que cozinhasse (fotos bem miseráveis, olhando agora para trás, mas a prática conduz à perfeição e nesse aspeto acho que melhorei!). Já tinha tido outros blogues pessoais e na altura mantinha o agora abandonadito Chá de Verão, e gostava de toda esta interação blogosférica. Um dia vinha de casa não sei de onde, estava a pôr a chave no portão e veio-me o nome "Mãos de Manteiga" à cabeça. Decidi que não ia passar daquele dia e o blogue nasceu :) O nome tem tudo a ver comigo, porque de facto sou uma desastrada de primeira (uma trovoada, como diz a minha mãe, e um furacão, como diz a Ana a minha amiga companheira de casa), o que aliada a uma certa brutalidade em todos os meus gestos faz com que parta no mínimo uma peça de louça por semana. Isto é o mínimo, que às vezes faço grandes mazel tov's, para grande trsiteza minha.

2. Alguma vez tiveste problemas com algum seguidor?
NUNCA! Os meus seguidores são os melhores do mundo. E os comentadores também. Sabem o que é nunca terem tido de eliminar um comentário por ser desagradável? Eu sei! :)

3. O que te faz manter o blogue?
Vocês, sobretudo. As vossas partilhas, os vossos comentários cheios de carinho, os vossos emails com dúvidas e incentivos. E depois claro, este gosto que tenho pela culinária em geral, esta vontade de aprender mais com outros blogues, e a necessidade de ter um "banco" de receitas num sítio onde não as possa perder.

4. O que nunca escreverias no blogue?
Aspetos muito pessoais da minha vida é para esquecer, claro. Gosto também de acreditar que nunca caíria na tentação de fazer um post sobre algum comentário maldoso, ou aproveitar a blogosfera para "lavar roupa suja" ou dizer mal de alguém ou de alguma coisa.

5. Se o teu blogue é anónimo: é dificil manter o anonimato?
Ahaha! O meu blogue supostamente é anónimo, sim, uma vez que criei um nome fictício para mim (lamento desiludir alguém menos atento mas o meu nome não é Anouska, é apenas Ana, um dos nomes mais bonitos e banais do mundo inteiro). Mas claro que o meu blogue não é anónimo, os meus amigos sabem que eu o tenho (principalmente através do facebook) e publico muitas fotos minhas e de família e amigos que autorizam. De vez em quando sei que sem querer devo dar pistas acerca da minha cidade de residência, falo muito da minha vida pessoal (apenas o que acho que não é demasiado pessoal e exagerado para um blogue essencialmente de culinária), das minhas viagens, das minhas férias, e gosto sempre de vos conhecer (por exemplo, através de eventos como a Feira de Rua em Oeiras, da qual falarei amanhã). Por isso, sim, é dificil para mim manter o anonimato, ou melhor, é impossível! Mas eu sou mesmo assim, nada a fazer. 


Agora é a parte de nomear cinco blogues. São eles (sintam-se à vontade para participarem ou não!):

As minhas perguntas são (muito baseadas nas que a Jelly e a Cocoon me deram!):
1. De onde surgiu a ideia do nome do teu blogue?
2. Porque decidiste criar o blogue?
3. O que nunca escreverias no blogue?
4. Qual a tua experiência mais embaraçosa relacionada com o blogue?
5. Qual a tua melhor experiência relacionada com o blogue?

Beijinhos a todos, prometo que vou tentar organizar-me ser mais assídua aqui neste cantinho :)

segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

Coisas boas das férias II

À semelhança do ano passado decidi manter esta rúbrica anual. Acho que é uma boa tradição, cada vez que acabar as férias fazer um levantamento de tudo de bom que comi e que não foi cozinhado por mim. O que acham? Sempre é uma maneira de vos dar a conhecer, quem sabe, certos restaurantes ou lojas que de outra maneira vos podiam passar ao lado - e como vocês sabem, eu gosto de partilhar coisas boas com vocês.

Hoje foi o meu primeiro dia de estágio (como é que de repente já estou no 5º ano?!), o que implicou entre outras mudanças uma mudança de casa. E onde a minha tarefa será cozinhar (acreditam que a minha colega amiga, prefere limpar a cozinhar??? O mundo está perdido! :P ), por isso esperem muitas receitas deliciosas...

O ano passado a lista de coisas boas, não sendo pequena, não era imensa. Este ano a coisa foi diferente e tive de fazer uma seleção (!) caso contrário este post teria meio metro de comprimento. O que diz muito sobre mim e sobre estas férias e justifica o facto de ter engordado quatro quilos desde Julho.

Então cá vai a seleção deste verão. Espero que gostem! E vocês? Tiveram alguma experiência gastronómica este verão digna de relevo?

Leite de cabra com chocolate, da terra do meu avô, mais...

... coalhada feita com o leite de cabra....

... mais pão com a nata do leite de cabra. Não preciso de mais nada para me fazer feliz :)

O gelado do verão, como já falei aqui (e que em Agosto foi tão dificil de encontrar!)

Cachorro poker face do bar da piscina da terra do meu cunhado. Estava mesmo bom!

Também da terra do meu cunhado, a jeropiga, que se vendia em copos de cerveja (céu!)

O gelado de morango da Dona Laurinda, tão delicioso como o seu gelado de pêssego

Pain d'épices em Paris, para matar saudades de Taizé.

Baguette da Brioche Dorée, também em Paris, que não desiludiu nadinha (ao contrário da sobremesa, um éclair sem graça nenhuma). 

Num restaurante chinês perto do nosso albergue, em Ledru Rollin. Pena não me lembrar do nome, a comida era deliciosa e nada cara! Preferência especial pelas bolinhas de porco agridoce, na foto no canto superior direito perto dos bróculos. Uma delicia!

Os belos dos macarons, comprados na Maison du Chocolat dentro do Museu do Louvre. Bons, mas foi preciso chegar a Trás os Montes para comer os melhores macarons da minha curta existência, trazidos de Bordéus pela cunhada da minha tia. 

Uma maçaroca de milho à entrada da estação de metro do Père Lachaise (onde passei uma tarde fantástica no cemitério, a minha parte preferida de Paris!). Soube-me pela vida!

Kouignettes, o bolo mais delicioso à face desta terra. Não vou descansar até descobir a receita perfeita. A minha era de rum e passas e se não me engano a da minha irmã era de amêndoa, mas já não tenho a certeza. Compradas perto do Sacré Coeur, como mostra a foto, numa lojinha muito simpática cheia de coisinhas boas (infleizmente não me lembro do nome)

Especialidades marroquinas de uma pastelaria também marroquina perto do Moulin Rouge. Charuto de psitachio (para mim) e baklava, para a minha irmã. Só de me lembrar dá-me água na boca.

Martinis com gelo e limão, na sala de espera da executiva no aeroporto de Orly! Devido à greve da TAP tivemos de vir um dia mais cedo, mas ao menos viemos em grande estilo :)

Farófias da avó, sempre boas. Sempre muito boas!

Tremoços da festa de Bemposta, este ano especialmente bons. 

Posta mirandesa, sempre irrepreensível no restaurante A Lareira em Mogadouro. A estrela para mim nem é tanto a posta, mas sim as batatas! OMG o que eu amo de paixão estas batatas, partidas fininhas, entaladas na frigideira e cobertas pelo molho avinagrado com que servem a posta... muito bom mesmo, aconselho a toda a gente!

Sardinhas assadas da sardinhada com os vizinhos. Sardinhas assadas são sempre boas, e eu sou sempre muito feliz a comê-las :) 

"Lanche Misto" aquecido, no café "K'Delicia" em Miranda do Douro.

O melhor pêssego que já comi na vida (e olhem que eu já comi muitos pêssegos!), comprado na Feira de Mogadouro. 

Orchata, comprada em Zamora. Quem já conhece (e provou!) esta bebida deliciosa?

Torradas com mel de Bemposta.

Cachorro da piscina de Mogadouro! Eu que abomino salsichas em lata, abro uma exceção para os cachorros.


Hamburguer no Honorato do Mercado da Ribeira (comi o que dava pelo nome de Falcão). Bom para hamburguer, mas o que gostei mesmo foi da companhia :)

Crepe extra nutella no café La Galette, da minha amiga Lucie. O número de crepes que comi nas últimas semanas faz-me corar de vergonha, mas comer crepes também conta como estudar francês, não é?

Figo da figueira da avó + presunto + queijo Rochefort = paraíso! 

Sandes de pernil de porco, na Feira Setecentista de Queluz. Muito, muito boa!

Tosta de atum, num café que descobri na Baixa da Banheira. Vale a pena deslocar-me até lá de propósito :)

Torradas no Café do André, no Barreiro. Acho que nunca comi uma torrada num café com tanta manteiga, e de tão boa qualidade (sabia mesmo a natas!)

Sumo de uva, feito pelo meu avô. Tão boa que é mesmo uma pena não se comercializar isto!

Sapateira para o aniversário de casamento dos meus avós (49 anos! Valentes!). Aos anos que não comia sapateira *.*

Os camarões mais bem temperados que já comi, também do aniversário dos meus avós. Aquele saborzinho a limão!... Ai!... 

Mas pronto, agora acabou-se. Agora é tempo de voltar à minha rotina, às minhas comidinhas vegetarianas e vegan, ao tentar eliminar reduzir os lacticinios... enfim, à vida normal.

E isso também é muito bom! :)

sexta-feira, 12 de Setembro de 2014

Blogue "Coisas da Carolina"

Não sei se ficou explícito aqui mas eu adoro quando alguém que eu conheço me diz que tem (ou já teve!) um blogue. Isto porque este blogue é das experiências mais enriquecedoras que já tive na vida (e olhem que a minha vida é maravilhosa, cheia de experiências boas e coisas fantásticas) e é por isso que gosto de fazer passatempos para retribuir o vosso carinho, é também por isso que tento convencer toda a gente que gosta de cozinhar a ter um blogue, e também é por isso que decidi que quando algum amigo criar um cantinho blogosférico para si, vou falar dele aqui no blogue.

Por isso, é com muita alegria que partilho o blogue "Coisas da Carolina"! A Carolina criou o blogue para a escola, mas depois decidiu dar-lhe seguimento. E ainda bem! Como está num curso  de restaurante-bar, acho que podemos esperar muitas comidinhas (e bebidas!) deliciosas. 

Espero que a sua experiência pela blogosfera seja tão boa como a minha :)

terça-feira, 9 de Setembro de 2014

Temperagem de Chocolate e Bombons Simples de Chocolate Preto


Quando comecei o blogue, desconhecia completamente duas realidades na culinária:

Realidade nº 1: Existe um bolo chamado Macaron.
Realidade nº 2: Para fazer bombons não basta derreter chocolate e metê-lo em forminhas, tem de submeter-se a diversas temperaturas (ou o bombom vai ficar sempre nhanhado e sem aquele brilho caracteristico). Ou seja, temperar o chocolate!

O que ia lendo nos blogues e visto na televisão acerca destas duas experiências (fazer macarons e temperar chocolate) deixavam-me com os cabelos em pé! Jurei assim que nunca, jamais em tempo algum me iria aventurar em nenhuma destas coisas.

Claro que com o tempo esta jura saiu furada e há cerca de um ano que pensava em temperar chocolate para fazer bombons e em experimentar macarons de diversos tipos. Esta vontade consolidou-se este verão, em que experimentei pela primeira vez o gelado da Ben and Jerry's de Manteiga de Amendoim (que chocolatinhos são aqueles, com recheio de manteiga de amendoim???? É de levar uma pessoa à loucura!) e enfardei quase uma caixa de macarons. Coisas da vida.

Ai Deus, o que eu sonho com estas "peanut butter cups"...
(imagem da net)

Por isso, depois de mais de 10 meses a pedir em todas as festividades um termómetro de cozinha, as minhas preces foram ouvidas e a minha irmã e o meu cunhado ofereceram-me um no aniversário. Passei o verão a sonhar com bombons de manteiga de amendoim, claro, mas também bombons de café, bombons de canela, bombons recheados com licor, bombons recheados com frutas, pepitas de chocolate, eu sei lá!

My precious!
Já agora, quando me ofereceram a minha irmã preparou um jogo muito engraçado com papelinhos, mas que juntamente com imagens de termómetros - que me pareciam testes de gravidez - me fizeram pensar que a minha prenda seria a notícia que iria ser tia XD

Entretanto enchi-me de arrogância e convenci-me que não podia ser assim tão dificil. Pelo que tinha visto em vários sites, era só pôr o chocolate a três temperaturas, também não era física quântica! E não é, mas também não é assim tão simples...

Baseei-me interiamente nas instruções do blogue Testado, Provado e Aprovado. Como ela, decidi que para primeira experiência não me devia pôr com grandes aventuras, por isso experimentei fazer apenas uns bombons simples, com um chocolate baratinho (de culinária, mesmo).

Para primeira experiência nem ficou muito mal (apesar de ter passado a temperatura na ultima etapa, o que fez com que o chocolate não ficasse muito brilhante). Pelo menos, os bombons mantiveram a sua forma, o que para mim já é uma grande vitória. Mal posso esperar para experimentar várias combinações de sabores, e com chocolate de melhor qualidade ;)

Ingredientes 
  • 70 gr de chocolate para culinária

Modo de fazer: 
1 - Picar o chocolate com uma faca. 


2 - Dividir em 3 partes iguais.


3 - Derreter em banho-maria 1/3 do chocolate picado. Atenção para que a taça onde o chocolate se encontra tape completamente a panela com a água, pois o vapor formado pode estragar o chocolate. 



4 - Quando o chocolate atingir a temperatura entre 45ºC e 50ºC juntar os restantes 2/3 do chocolate.


5 - Mexer até que a temperatura do chocolate caia para os 27ºC (demorou uma eternidade!). 

6 - Quando isso acontecer, levar novamente o chocolate ao banho-maria em pequenos intervalos de tempo (10s) até que o chocolate chegue aos 32ºC. Eu como levei novamente em banho-maria em período mais longos, quando dei por mim já o chocolate estava nos 35ºC. Glup.

7 - Dispor em forminhas próprias para chocolate (este por acaso até é uma forma de silicone para gelo, serve na perfeição) e deixar arrefecer (podem colocar no frigorífico), o que acontece rapidamente se o chocolate estiver bem temperado. 


8 - Desenformar com cuidado.

Et voilá! Têm uns bombons simples, absolutamente sem nada de especial, mas que vão fazer com que ganhem confiança e que sintam um orgulho enorme em vocês próprios. Garantido! ;)



Rende 7 bombons
Cerca de 50 kcal por bombom